Thiago Corrêa - 28 de setembro de 2015 às 14H 15M

Um conceito pelo viés do hiperlink

Pierre Levy

Hiperlink para Pierre Levy: uma revolução textual a partir da internet

Tão difícil quanto estabelecer o que é literatura, será definir o que é literatura eletrônica. Porque, se na primeira sempre nos resta questões subjetivas que recaem sobre a diferenciação do ficcional com a realidade, ou a finalidade do texto, ou mesmo sobre a sua qualidade…; na segunda temos todos esses pontos de sombra com o acréscimo ainda da relação com a tecnologia. A começar pelo termo literatura eletrônica, que não chega a ser bem um consenso entre os pesquisadores. Expressões como ciberliteraturaliteratura digital, cibertexto e literatura ergódica também são amplamente utilizadas e cada uma apresenta sua particularidade, seu viés de entendimento do que seria essa vertente da literatura em meios digitais.

Ao longo desta e das próximas colunas, vamos apresentar alguns desses conceitos que tentam explicar e justificar essa diferenciação. Nesta primeira parte, iremos abordar as ideias de Pierre Lévy, ainda que sua análise não foque propriamente em obras literárias, mas no texto e nas novas formas de organização de ideias através do hipertexto. O que, por consequência, também nos leva a pensar em literatura, atingindo questões importantes como o papel do leitor e a relação com outras linguagens.

Pierrey Lévy CiberculturaNo livro Cibercultura, ele aponta o hiperlink como a principal característica da internet. Embora o recurso não seja exatamente uma inovação nem exclusividade do meio eletrônico, como vimos na coluna passada; no ambiente digital ele se torna mais rápido e poderoso. Em questão de segundos pode-se sair de uma enciclopédia para consultar o acervo de um jornal, do jornal para uma rede social, do Facebook para o YouTube, dele para um programa de rádio e assim por diante. Ou, como brinca a pesquisadora Lúcia Santaella em referência a artigo de Umberto Eco, “ir de Platão à salsicha em apenas cinco passos”.

Segundo Lévy, além do fator velocidade, no computador o hiperlink permite o diálogo com outros tipos de mídia, fazendo com que o hipertexto passe a suportar diferentes linguagens além da escrita (áudio, vídeo) num mesmo dispositivo. Por conta dessas transformações, Lévy afirma que as formas de edição e de documentação tendem a explorar, cada vez mais, as características de velocidade de navegação, bem como do volume de informações disponibilizado nos dispositivos digitais. Considerando-se o acúmulo de dados permitido pelo aumento exponencial da capacidade de memória dos computadores; a estrutura de organização do hipertexto ganha um caráter enciclopédico, dado o volume de informações interligadas.

Assim, esse sistema implica numa aproximação entre a leitura e a escrita, delegando aos leitores a função de traçar seus próprios caminhos, correlacionar diferentes informações e gravar essas trilhas percorridas, influenciando sistemas de buscas no encadeamento de dados ao dar preferência a certos links ao invés de outros, fazendo com que os hábitos dos usuários terminem dando mais visibilidade aos sites escolhidos.

Thiago Corrêa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Teoria da Literatura pela UFPE, Thiago Corrêa é um dos fundadores do grupo Vacatussa e já foi setorista de literatura nos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco.

Comentários

desenvolvido por Shamá