Eduardo Cesar Maia - 27 de junho de 2014 às 10H 27M

A filosofia da ciência em nossos dias: entrevista com Alfredo Marcos

amarcos

Por Eduardo Cesar Maia e Jorge Roaro

Uma das razões pelas quais as pessoas costumam confiar nas conclusões e nas predições dos cientistas é a de imaginar que a linguagem da ciência é completamente objetiva. Contudo, pensadores como Thomas Kuhn, Karl Popper e Paul Feyerabend, já nos advertiram de que, na atividade científica, como em qualquer outra atividade humana, intervêm também questões, digamos, “contextuais”: preferências, preconceitos, crenças; além das exigências políticas e econômicas de sua época, a situação sociocultural, os modismos teóricos e ideológicos, os interesses que movem a atividade acadêmica, a rentabilidade e a possibilidade de desenvolvimento comercial de uma investigação ou projeto, etc.; e tudo isso termina por influenciar diretamente no estabelecimento dos paradigmas científicos.

Devido ao reconhecimento da importância desses fatores, nas últimas décadas, a filosofia da ciência tem se aberto a questões de caráter prático. Recobrou, assim, felizmente, o diálogo com o pensamento social, moral e político. Nas páginas seguintes, o filósofo espanhol Alfredo Marcos, nascido em León, em 1961, apresenta os fundamentos históricos e filosóficos dessa concepção ampliada de ciência e nos mostra como funciona na prática sua aplicação concreta em diferentes âmbitos: comunicação da ciência, investigação clínica, política ambiental, poética da ciência etc.. Alfredo Marcos, que é doutor em filosofia pela Universidade de Barcelona e catedrático de Filosofia da Ciência da Universidade de Valladolid, publicou, além de diversos artigos científicos em revistas especializadas e de divulgação científica em todo mundo, mais de uma dezena de livros, entre os quais Pierre Duhem. La filosofía de la ciencia en sus orígenes (Barcelona, 1988), Aristóteles y otros animales (Barcelona, 1996), Hacia una filosofía de la ciencia amplia (Madrid, 2000), El Testamento de Aristóteles (León, 2000), Filosofía de la Ciencia. Nuevas dimensiones (México, 2010). Este último, publicado pelo Fondo de Cultura Económica, serviu de base para a conversa que o leitor do Blog do Café pode acompanhar na íntegra no site da revista filosófica espanhola Disputatio. Eis o link http://bit.ly/almarcosfilos

 

Eduardo Cesar Maia

Editor da revista Café Colombo e professor de comunicação na UFPE, Eduardo Cesar Maia é jornalista, mestre em filosofia pela Universidade de Salamanca e doutor em Teoria da Literatura. Trabalhou na revista Continente.

Comentários

desenvolvido por Shamá