Mano Ferreira - 19 de agosto de 2014 às 15H 37M

Edney Silvestre tem novo lançamento em setembro

Foto: Leo AversaJornalista consagrado, Silvestre lança sua segunda obra literária após estreia bem referendada pela crítica

O jornalista e escritor Edney Silvestre prepara para setembro com a editora Record o lançamento de seu mais novo livro, Boa noite a todos. A obra trará duas narrativas – uma novela e uma peça – envolvendo uma mesma personagem, Maggie, uma brasileira que se exila na Europa durante a ditadura militar.

Bastante conhecido por seu trabalho jornalístico nos canais Globo (entre outros trabalhos, ele comanda o Globo News Literatura), Edney fez sua estreia literária em 2009, com o romance Se eu fechar os olhos agora. A obra foi muito bem recebida pela crítica, tendo vencido o Prêmio Jabuti de 2010 na categoria melhor romance – ano da famosa polêmica envolvendo Chico Buarque e o seu Leite Derramado que, apesar de ter perdido a disputa na categoria romance, venceu a maior de todas tendo sido eleito livro do ano.

Como aperitivo ao lançamento programado para setembro, a editora Record divulgou a capa e o texto de orelha. Confira a seguir:

edneysilvestre-boanoiteatodos

A grande literatura tem, entre seus atributos, a faculdade de criar personagens que, embora ficcionais, resultam tão reais e verdadeiros como se de carne e osso. Maggie, a protagonista da novela e da peça que compõem “Boa noite a todos”, é uma dessas personagens que ganham vida a partir das páginas do livro, algo cada vez mais raro na literatura brasileira contemporânea. A convivência com seu drama – o de uma mulher cuja memória começa rapidamente a se esfacelar – é um profundo e emocionante aprendizado sobre a alma humana e, exatamente por isso, também reafirmação, parágrafo a parágrafo, da própria vitalidade literária.

Maggie é uma brasileira de seu tempo, que, como muitos latino-americanos, conheceu na Europa dos anos 1960 e 70 a liberdade que os anos de chumbo tolhiam em seu país natal. Essa liberdade teve, no entanto, como revés, a ausência de uma terra firme à qual se prender. Marcada pelo destino dos expatriados, ela enfrenta agora a perda do pouco que lhe resta de identidade: a lembrança dos deleites e dos infortúnios de uma existência intensa. Londres, Nova York, Amsterdã e Berlim confundem-se, assim como se embaralham, à distância, os antigos amores, a família e os amigos. Sozinha e progressivamente incerta das próprias recordações, Maggie não se reconhece. Quem, afinal, realmente é?

Edney Silvestre – ficcionista de voz inconfundível – conduz com técnica impecável o ocaso de Maggie e sua luta por ancorar-se nos últimos resquícios da memória. E o faz recorrendo a uma estrutura engenhosa, que, se já surpreenderia ao costurar, em sequência, modalidades narrativas diversas, vai ainda além, somando à novela e à peça um ensaio que lhes investiga a gênese.

De alcance universal, “Boa noite a todos” representa mais um patamar no generoso e não menos complexo edifício literário em que Silvestre – desde sua estreia na ficção, com o já clássico “Se eu fechar os olhos agora” – abriga e situa a geração que se formou sob as grandes transformações políticas e sociais da segunda metade do século XX. Uma leitura inesquecível e incontornável, que reforça a literatura como o mais prazeroso meio de se apurar nossa história.

Mano Ferreira

Editor deste site, integra o Café Colombo desde 2012. Jornalista formado pela UFPE, trabalhou nos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco, onde atuou na Revista Aurora. É colunista do Mercado Popular e foi co-fundador da rede Estudantes Pela Liberdade no Brasil.

Comentários

desenvolvido por Shamá