Mano Ferreira - 21 de agosto de 2014 às 14H 17M

Revista acadêmica com foco na Escola Austríaca será lançada em Fortaleza

revistamisesInstituto Mises Brasil edita a primeira revista acadêmica com foco na Escola Austríaca no Brasil

Até pouco tempo atrás o ambiente acadêmico brasileiro praticamente ignorava ideias fundamentadas no liberalismo. Uma das consequências era um retumbante silêncio a respeito de autores relevantes no debate internacional do século XX, como os pensadores da Escola Austríaca, dentre os quais destacam-se Ludwig von Mises e Friedrich Hayek, prêmio Nobel de 1974. Esse cenário tem sido bastante modificado recentemente, graças ao trabalho de diversas entidades como a rede Estudantes Pela Liberdade e o Instituto Mises Brasil.

>> Helio Beltrão fala sobre trabalho de editoração do Instituto Mises Brasil, que ele preside

É nesse contexto que ocorre hoje, às 20h, em Fortaleza, o lançamento da 2ª edição da revista acadêmica Mises, uma publicação semestral do Instituto Mises Brasil e que pela primeira vez será discutida no Nordeste. O evento é promovido através de uma parceria com o Grupo de Estudos Dragão do Mar e Instituto Liberal do Nordeste – Ilin e acontecerá no lounge da Pós-Graduação da Universidade de Fortaleza. Na ocasião, estarão presentes Helio Beltrão, Ubiratan Jorge Iorio e Márcia Xavier de Brito, respectivamente o presidente, o diretor acadêmico e a tradutora do Instituto Mises Brasil, além de Alex Catharino, editor da revista.

Para o advogado e professor Rodrigo Saraiva Marinho, presidente do Ilin, o evento representa um avanço para o ambiente de ideias na região já que se trata da primeira revista acadêmica brasileira com foco na Escola Austríaca de economia. “Infelizmente, no Nordeste ainda há muita fé no papel do Estado, mas é uma felicidade ter este evento ocorrendo na Universidade de Fortaleza, que foi fundada por Edson Queiroz, um dos maiores empreendedores do Brasil, o que só reforça a importância de uma revista como essa ser lançada no Ceará“, declarou.

rodrigosaraivamarinhoEvento é organizado por Rodrigo Marinho, presidente do Ilin

Segundo Alex Catharino, editor da revista, em todas as edições serão publicados artigos acadêmicos nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais, Crítica Cultural e Literatura, Direito, Economia, História, Filosofia e Sociologia, além de resenhas de livros. “Por ser o único periódico dedicado aos estudos sobre a Escola Austríaca, a MISES é um veículo acadêmico de grande importância para a divulgação e o debate de ideias pouco conhecidas nas universidades brasileiras, mas que, aos poucos, estão atraindo um público crescente”, comenta.

A primeira edição da revista, que possui 300 páginas, está à venda nas principais livrarias do país e também na internet ao custo de R% 62. O mesmo ocorrerá com o segundo número, com 384 páginas a R$ 68, mas apenas após a 4ª edição da Conferência de Escola Austríaca do Instituto Mises Brasil, programada para os dias 6 e 7 de setembro em São Paulo.

Confira os temas tratados e os autores presentes na segunda edição da Mises, em suas respectivas seções:

[tabs tab1=”Epistemologia” tab2=”Economia” tab3=”História” tab4=”Sociedade” tab5=”Cultura” tab6=”Resenhas”]

[tab id=1]EPISTEMOLOGIA E ÉTICA

O Fundamento Ativo do Conhecimento
Ludwig von Mises

Hayek: Epistemologia e Tensões na Tradição Austríaca
José Manuel Moreira

Da Economia do Laissez-Faire à Ética do Libertarianismo
Hans-Hermann Hoppe

[/tab]
[tab id=2]ECONOMIA, METODOLOGIA E PRAXEOLOGIA

Economia como Ciência Teórica e suas Relações com as Ciências Econômicas Históricas e Práticas – Parte 1
Carl Menger

Reflexões Sobre o Ação Humana de Mises
Vernon L. Smith

A Grande Ficção das “Falhas de Mercado”
Ubiratan Jorge Iorio

O Argumento Diagonal de Cantor: Uma Extensão ao Debate sobre o Calculo Socialista
Robert P. Murphy

Revisitando a Definição de Moeda
Fernando Ulrich

Incerteza, Descoberta e Ação Humana: Um Estudo do Perfil Empreendedorial no Sistema Misesiano
Israel M. Kirzner

Empreendedorismo: Kirznerianos e Rothbardianos
Adriano Gianturco Gulisano

[/tab]
[tab id=3]HISTÓRIA DO PENSAMENTO ECONÔMICO

O Pensamento Econômico na Idade Média Cristã – Parte 2
Murray N. Rothbard

Se um Penitente está Obrigado a Restituir
Johannes Duns Scotus

Interpretações de Adam Smith pela Escola Austríaca de Economia
Wesley Reynolds

Um Democrata Cristão contra o Neoliberalismo: A Crítica de Oliveira Viana a O Socialismo de Mises
Christian Edward Cyril Lynch

[/tab]
[tab id=4]SOCIEDADE, LEGISLAÇÃO E POLÍTICA

Sociedade – Parte 1
Ludwig von Mises

O Liberalismo Austríaco no Pensamento de Michel Foucault: Teoria Política Internacional em Nova Perspectiva
Claudio A. Tellez Zepeda

Incerteza, Subjetividade e a Análise Econômica do Direito
Mario J. Rizzo

O Mito da Eficiência
Murray N. Rothbard

Secessão e Federalismo na Perspectiva da Escola Austríaca
Daniela Sofia Gomes da Silva & André Azevedo Alves

[/tab]
[tab id=5]CULTURA E LIBERDADE

O Poeta como Economista: A crítica de Shelley sobre o papel Moeda e a Dívida Nacional Inglesa
Paul A. Cantor

A Liberdade no Pensamento Cultural e Político de Mario Vieira de Mello
Kaio Felipe

[/tab]
[tab id=6]RESENHAS DE LIVROS

A Escola Austríaca de Jesús Huerta De Soto
Bernardo Santoro

Liberalismo – Segundo a Tradição Clássica de Ludwig von Mises
Victor Yamasaki Bernardo

Robust Political Economy: Classical Liberalism and the Future of Public Policy de Mark Pennington
Gabriel Oliva C. Cunha

O Cálculo Econômico sob o Socialismo de Ludwig von Mises
Patrick Coelho Campos Gappo

Desestatização do Dinheiro de F. A. Hayek
Christian Vonbun

The Clash of Economic Ideas: The Great Policy Debates and Experiments of the Last Hundred Years de Larry H. White
Fabio Barbieri

A História do Brasil com Empreendedores de Jorge Caldeira
Bruno Garschagen

O Nascimento do Direito Internacional de Paulo Emílio Vauthier Borges de Macedo
Claudio A. Tellez-Zepeda

The Dictator’s Handbook: Why Bad Behaviour is Almost Always Good Politics de Bruce Bueno de Mesquita e Alastair Smith
Luciana Silveira

Além da Democracia de Frank Karsten & Karel Beckman
Rodrigo Saraiva Marinho

Libertarian Anarchy: Against the State de Gerald Casey
Lucas G. Freire

Hitler e os Alemães de Eric Voegelin
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene

Educação: Livre e Obrigatória de Murray N. Rothbard
Gabriel Moreira Beraldi

[/tab]

[/tabs]

Trecho do editorial da segunda edição da Revista Mises:

“Amparados por tantos ‘ombros de gigantes’ os pensadores da Escola Austríaca conseguiram ao longo dos últimos dois séculos enxergar mais longe do que as demais correntes econômicas, ao desenvolver muitas teorias que, atualmente, já fazem parte do chamado ‘mainstream economics’.

No entanto, a Escola Austríaca não é uma peça de museu que só deva ser estudada como curiosidade histórica por contribuições passadas. Ainda em nossos dias é uma corrente científica de vanguarda. Ao rejeitar as limitações impostas pelo método indutivo adotado pelos positivistas, historicistas e institucionalistas, cujas análises de estatísticas só conseguem apresentar um quadro parcial de fenômenos passados, o pensamento austríaco, fundado ao mesmo tempo em uma metodologia dedutiva e em dados empíricos da realidade, consegue desbravar campos inexplorados, como é o caso das recentes discussões sobre o papel do empreendedor na economia, sobre a desestatização do dinheiro e a emergência das moedas eletrônicas e digitais, como o Bitcoin, sobre os sistemas de legislação policêntrica e sobre tantos outros temas. Por essa capacidade de adaptação à novidade, a Escola Austríaca vem atraindo um número crescente de pesquisadores dedicados tanto a temas tradicionais do pensamento econômico e político quanto a inovações sociais, que, não mereceram, ainda, a devida atenção das demais correntes.

No monumental tratado ‘Die Gemeinwirtschaft: Untersuchungen über den Sozialismus’ [A Economia Social: Estudos sobre o Socialismo], lançado originalmente em 1922, Ludwig von Mises asseverou que ‘nada é mais difícil do que alcançar uma perspectiva clara, histórica, de um movimento contemporâneo’. Nessa óptica, o correto juízo histórico sobre a crescente influência da Escola Austríaca no início do terceiro milênio será devidamente analisado apenas pelas gerações futuras, pois, de acordo com pensador austríaco, ‘a proximidade do fenômeno faz com que seja difícil reconhecer o todo na verdadeira proporção’. A atual geração, no entanto, não poderá se eximir das responsabilidades morais inerentes ao correto entendimento de uma sociedade livre e de sua defesa contra os projetos ideológicos tradicionalistas ou revolucionários, […]

Dando continuidade a esse compromisso moral com as gerações futuras e a partir dessa tradição inovadora, apresentamos o segundo número do primeiro volume de ‘MISES: Revista Interdisciplinar de Filosofia, Direito e Economia’. Esta pequena contribuição ao debate acadêmico, demonstra que os pensadores da Escola Austríaca continuam sua jornada, desbravando as fronteiras finais, numa missão interminável para explorar novos objetos de estudo, para pesquisar novas relações econômicas, novas realidades sociais; audaciosamente indo onde nenhum economista jamais esteve”.

Mano Ferreira

Editor deste site, integra o Café Colombo desde 2012. Jornalista formado pela UFPE, trabalhou nos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco, onde atuou na Revista Aurora. É colunista do Mercado Popular e foi co-fundador da rede Estudantes Pela Liberdade no Brasil.

Comentários

desenvolvido por Shamá