Mano Ferreira - 05 de julho de 2015 às 15H 47M

A poesia muito antes da meia-noite

cristianoramos

Titular da coluna Doppio Espresso, Cristiano Ramos faz sua estreia literária

Após mais de uma década atuando na crítica literária, o jornalista Cristiano Ramos estreia do outro lado do front publicando pela editora Confraria do Vento o livro de poemas Muito antes da meia-noite.

A obra reúne escritos dos últimos 25 anos, agrupados em seis seções escritas em diferentes épocas.

Titular da coluna Doppio Espresso e parceiro de primeira hora deste Café Colombo, Cristiano comentou sua trajetória literária, a relação com a editora e a importância da poesia como meio de expressão para a sua vida.

Embora não pareça, porque criei essa personagem tagarela como uma estratégia de sobrevivência, eu era um tímido doentio. Doentio mesmo. Eu não conseguia falar, não conseguia me comunicar direito. Cheguei até a virar atleta para conseguir melhorar isso, conhecer gente, namorar.

Eu tinha uma dificuldade muito grande, mas eu tentei me comunicar de várias formas: tentei falar, e não conseguia; tentei escrever prosa, e não conseguia dizer o que queria; quando eu descobri a poesia, senti que era o lugar em que conseguia dizer coisas para as quais as outras linguagens haviam fracassado. Depois fiquei mais velho e criei alguma desenvoltura com a escrita, mas, ainda assim, quando quero tratar de algumas coisas a prosa não dá. Só consigo com a poesia.

Confira a íntegra desta entrevista conduzida por Eduardo César Maia e Mano Ferreira, originalmente veiculada em 5 de julho de 2015, na edição #606 do Café Colombo na Rádio Universitária 99,9 FM.

Mano Ferreira

Editor deste site, integra o Café Colombo desde 2012. Jornalista formado pela UFPE, trabalhou nos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco, onde atuou na Revista Aurora. É colunista do Mercado Popular e foi co-fundador da rede Estudantes Pela Liberdade no Brasil.

Comentários

desenvolvido por Shamá