Mano Ferreira - 14 de dezembro de 2015 às 11H 55M

Celso Arnaldo Araújo documenta idioma da mulher sapiens

Dilma não fala português. Ela tem um idioleto

Segundo os filólogos, idioleto é um idioma falado por uma única pessoa. Munido de espírito antropológico, Celso Arnaldo Araújo documentou o Dilmês

Após ter obtido duas vitórias eleitorais, conquistado o recorde brasileiro de impopularidade presidencial e colecionado uma série histórica de discursos sem sentido, o talento linguístico da presidente Dilma Rousseff é matéria de conhecimento geral. Muito antes da fama, no entanto, o discurso de Dilma já recebia atenção do experiente jornalista Celso Arnaldo Araújo, considerado o pioneiro na análise sintática e política do idioma próprio falado pela presidente da República.

Munido de espírito antropológico, Arnaldo começou a arquivar, registrar e escrever sobre a oratória dilmística desde 2009, quando ela era apenas uma funcionária pública de alto escalão lançada pré-candidata à presidência pelo então presidente Lula.

dilmesComo jornalista, estou acostumado a ouvir pessoas há muitos anos: fui repórter da Revista Manchete durante mais de 20 anos e ouvi desde garis a presidentes da república. Mas a sintaxe da Dilma fugia de qualquer curva, era uma incapacidade. Ao longo dos discursos dela acerca de qualquer tema, eu comecei a perceber que o discurso dela tem uma sintaxe fora do ponto normal e até do anormal. Era uma sintaxe toda própria, o que me fez levar a concluir que ela não fala português, mas um idioleto. Segundo os filólogos, idioleto é um idioma falado por uma única pessoa.

Confira a seguir a íntegra desta entrevista conduzida por Renato Lima e que foi ao ar em 13 de dezembro de 2015, no Café Colombo #628 veiculado na Rádio Universitária 99,9 FM.

Mano Ferreira

Editor deste site, integra o Café Colombo desde 2012. Jornalista formado pela UFPE, trabalhou nos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco, onde atuou na Revista Aurora. É colunista do Mercado Popular e foi co-fundador da rede Estudantes Pela Liberdade no Brasil.

Comentários

desenvolvido por Shamá