Artistas prestam homenagem a Quino, criador da Mafalda

O cartunista argentino, morto aos 88 anos, foi um dos mais influentes da América Latina
Quino, criador de Mafalda

Quino parou de desenhar Mafalda em 1973, mas continuou a desenhar histórias que mantiveram seu legado crítico. Foto: Miguel Riopa/AFP/Arquivo.

O cartunista argentino Quino morreu nesta quarta-feira (30), aos 88 anos. Joaquín Salvador Lavado Tejón nasceu em 1932 e publicou seu primeiro quadrinho aos 18 anos, mas foi em 1962 que criou a garotinha Mafalda — cujo nome foi inspirado em um personagem da novela “Dar la Cara”, escrita por David Viñas. A menina de 6 anos que odiava sopa, era fã dos Beatles e se preocupava com política e questões de gênero foi criada para uma campanha de eletrodomésticos, porém, foi engavetada; Mafalda só começou a ser publicada em 1964, tornando-se um grande sucesso de público. Quino parou de desenhá-la em 1973, mas suas indagações são atemporais.

Questionando as desigualdades latentes da sociedade, Quino influenciou gerações de artistas pela América Latina. Confira as homenagens deixadas por cartunistas:

Adão, André Dahmer, Fabiane Langona e Estela May homenageiam Quino na Folha de S. Paulo. Foto: Twitter/Divulgação

Quino, pai de Mafalda

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp