Morre o compositor Aldir Blanc, vitimado pelo coronavírus

Morto aos 73 anos, o autor de ‘O Bêbado e a Equilibrista’ é um dos mais celebrados da música nacional

Morto aos 73 anos, o autor de ‘O Bêbado e a Equilibrista’ é um dos mais celebrados da música nacional


aldir blanc

Autor de mais de 600 músicas, Aldir Blanc é um dos mais importantes compositores da Música Popular Brasileira. Foto: Divulgação

Faleceu na madrugada de hoje (4) o compositor e escritor Aldir Blanc, no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), no Rio de Janeiro. Aos 73 anos, ele lutava contra a Covid-19 e deixa um legado de composições que marcaram a música brasileira.

Aldir foi internado no dia 10 de abril no Centro de Emergência Regional do Leblon, com um quadro de pneumonia e infecção urinária, que acabou se generalizando. No dia 15, foi transferido para o Hupe em estado grave.

Nascido no Rio, em 2 de setembro de 1946, Aldir Blanc Mendes ingressou na Faculdade de Medicina em 1966, carreira que acabou abandonando em 1973 para se dedicar inteiramente à música. 

João Bosco e Aldir Blanc se conheceram em 1971, por intermédio do amigo Pedro Lourenço, e começaram a trabalhar juntos por cartas até João se mudar de Minas Gerais para o Rio. Foto: Arquivo/Luiz A. Barros

Um dos mais proeminentes compositores da MPB, teve entre seus parceiros João Bosco, com quem criou O bêbado e a equilibrista, O mestre-sala dos mares, Dois pra lá, dois pra cá, Cabaré e comadre e tantos outros sucessos cantados por Elis Regina. A equipe do Café Colombo selecionou algumas das 607 músicas de Blanc que você pode ouvir na nossa playlist no Spotify.

Blanc também alcançou sucesso como cronista, contribuindo para jornais como O Estado de S. Paulo, O Globo e O Dia, além de ter publicado livros como Rua dos artistas e arredores (1978) e Porta de tinturaria (1981).

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp